Notícias

10 julho, 2021

Sessão Especial na Câmara homenageia trabalhadores em teleatendimento e reivindica Vacinas, melhores salários e condições de trabalho

Aconteceu nesta quinta (08/07), na Câmara Municipal de Salvador, uma Sessão Especial em celebração ao Dia do Teleoperador (a), que foi comemorado no dia 04 de julho. Mediada pelo Ouvidor Geral da Câmara, o vereador Augusto Vasconcelos, o evento contou com uma mesa composta pelo Presidente do Sinttel Bahia e diretor da Federação Nacional dos Trabalhadores em Telecomunicações (Fenattel), Joselito Ferreira, da Coordenadora Estadual da Rede Sinebahia, Kadine Santos, da Teleoperadora, Talita Martins e do Deputado Estadual (PT), Robinson Almeida.

A atividade discutiu pontos importantes para os trabalhadores em teleatendimento, a exemplo da regulamentação da profissão, o adoecimento, as condições de trabalho e a vacinação. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Painel Brasil, encomendada pelo Sinttel no ano de 2019, a Bahia concentra aproximadamente 50 mil profissionais teleoperadores e teleoperadoras. Desses, 51,4% são mulheres e a maioria tem entre 17 e 35 anos, recebendo uma média salarial de um salário mínimo para uma jornada de 180 horas, o que equivale a sei horas por dia. Entre as principais doenças que mais acometem o setor estão a Ler/ DORT, calo na voz e doenças psicológicas, como depressão e síndrome do pânico.

“O setor de call center é um dos principais responsáveis pela geração de empregos em nossa cidade. A taxa de empregabilidade no call center chega a 39% da nossa meta mensal”, disse Kadine Santos.

“Hoje é um dia para todos nós, que somos usuários desses serviços, refletirmos. A maioria das vezes a responsabilidade dos problemas que os consumidores enfrentam, seja ela com o banco ou uma empresa de telefonia, não é culpa do teleoperador, mas tudo acaba desaguando neste profissional que recebe, por parte do cliente, maus tratos, xingamentos, ameaças e etc. Essas atitudes refletem no dia a dia dessas pessoas, abalando o seu emocional e psíquico. Não é à toa que o INSS tem essa como uma das principais categorias com solicitações de afastamento com problemas de síndrome do pânico, depressão, síndrome de burnout, esgotamento físico e mental”, disse Augusto Vasconcelos, que também é autor do projeto de indicação que requer a inclusão dos trabalhadores e trabalhadoras dos serviços essenciais, dentre eles os telefônicos, nos grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19.
“Representamos uma categoria fundamental para a sociedade, por isso buscamos o reconhecimento dos gestores públicos e dos cidadãos que utilizam as telecomunicações. Exigimos respeito e vacina!”, reforçou, Joselito Ferreira, presidente do Sinttel Bahia. Pensando em criar estratégias e minimizar os impactos nocivos a classe, a Sinttel realizou reuniões com o secretário municipal de Saúde, Leo Prates e também com o Ministério Público do Trabalho Federal. A partir disso, foi enviado um oficio às empresas solicitando meios de transporte alternativos para os trabalhadores do turno noturno, a fim de resguardar sua integridade física. Foi solicitado também o pagamento de verbas e benefícios aos trabalhadores afastados e em home office, bem como o acompanhamento das fiscalizações realizadas por órgãos públicos como a vigilância sanitária.

FALE COMIGO
Mande sua ideia e ajude a contruir uma cidade mais justa.
Faça parte dos nossos grupos: