Notícias

2 setembro, 2021

Augusto Vasconcelos preside Sessão Especial sobre Saúde Mental do Trabalhador (a) na pandemia

A ‘Saúde Mental do Trabalhador (a), na Pandemia, foi tema da Sessão Especial, presidida pelo vereador Augusto Vasconcelos (PCdoB), realizada na manhã desta quarta-feira (01), pela Câmara Municipal de Salvador (CMS). O assunto se faz importante também pela campanha Setembro Amarelo, campanha em combate ao suicídio.
Na oportunidade, foi discutido sobre a necessidade de desenvolver medidas mais eficazes para proteger o conjunto da sociedade, uma vez que a síndrome do pânico, ansiedade, depressão passaram a fazer parte do cotidiano de uma boa parte das famílias brasileiras, durante a pandemia da COVID-19. Para Augusto, pautar saúde mental não é apenas discutir aspectos psicológicos. Ele reforçou que trata-se de questões sociais e que tem conexão com aspectos políticos e econômicos. Nessa perspectiva, ele pontou sobre como a Medida Provisória (MP) 1045/21, aprovada em agosto na Câmara dos Deputados, pode intensificar os danos causados à mente dos trabalhadores já que ela objetiva renovar o programa de redução ou suspensão de salários e jornada de trabalho com o pagamento de um benefício emergencial aos trabalhadores, mas através de várias emendas institui na prática uma nova Reforma Trabalhista.
“Mesmo aqueles que não perderam seus empregos, encontram-se no mercado de trabalho extremamente pressionados, com ameaça da substituição da mão de obra e, inclusive, com a possibilidade da precariedade das relações de trabalho agravadas pela reforma trabalhista. A MP 1045 é mais uma ameaça ao trabalhador porque ela promove, ainda mais, o barateamento dos custos da força de trabalho, promovendo um deslocamento de trabalhadores contratados pelo regime CLT, para uma forma mais precária, mais barata para o capital de fazer a contratação desses profissionais”, reforçou Augusto.
Na opinião dos palestrantes, o assédio moral, a pressão excessiva por resultados e o aumento da competitividade são fatores que, antes mesmo da pandemia, já provocava o adoecimento mental. A mesa do evento foi composta pela Médica sanitarista, Diretora da Diretoria de Vigilância e Atenção à Saúde do Trabalhador (Divast/Cesat), Dra. Leticia Nobre, pela Médica do Trabalho e Mestre em Saúde, Ambiente e Trabalho, Dra. Suerda Fortaleza Souza, Psicóloga do CEREST Salvador, Dra. Valdisia Pereira da Mata, pela Psicóloga Clínica e Organizacional, Dra. Juliete Barreto e pelo Procurador do Ministério Público do Trabalho na Bahia, Dr. Pacífico Rocha.

FALE COMIGO
Mande sua ideia e ajude a contruir uma cidade mais justa.
Faça parte dos nossos grupos: