Notícias

27 maio, 2022

 Augusto Vasconcelos preside Sessão Especial pela prevenção da Síndrome Alcoólica Fetal

A Prevenção da Síndrome Alcoólica Fetal foi tema de Sessão Especial presidida pelo vereador Augusto Vasconcelos (PCdoB), na tarde desta quarta-feira (25/05). Em formato online, o evento dialogou sobre o distúrbio, visando a conscientização da população sobre os possíveis riscos durante a gravidez e as possíveis consequências que afetam a mãe e a criança.

A Sessão destacou a necessidade da prevenção da Síndrome Alcoólica Fetal (SAF), distúrbio que afeta o desenvolvimento do feto e é causado pela exposição ao álcool durante a gravidez, podendo causar danos irreversíveis durante a formação, ocasionando, inclusive, problemas de crescimento, distúrbios comportamentais e deficiência intelectual. Em mais uma ação de conscientização, através do espaço legislativo, Augusto, também na condição de Ouvidor-Geral da Câmara Municipal de Salvador (CMS), reuniu especialistas para debater o tema.

“Esse será um espaço informativo de diálogo e da construção de políticas públicas para o Município de Salvador, no sentido de construir campanhas de conscientização e dotar o sistema único de saúde de medidas capazes de enfrentar o problema”, informou o parlamentar.

Foi constatado que o consumo de bebidas alcoólicas durante a gestação, ainda que em pequenas quantidades e em qualquer momento da gravidez, pode ocasionar danos permanentes, pois interfere na formação do embrião, especialmente do sistema nervoso central, podendo resultar em anomalias congênitas como a microcefalia, alterações faciais e em outros órgãos. Para a doutora e presidenta da Associação de Obstetrícia e Ginecologia da Bahia (SOGIBA), Márcia Machado, as repercussões trazem consequências para vida inteira.

“A gente observa problemas bem significativos já durante a gestação, então essa mulher que ingere bebida alcoólica pode ter desde quadros de abortamentos, quanto partos prematuros e até obtidos fetal. É bem grave porque quando o bebê não vai a óbito, ele pode ter complicações bastante significativas que vão durar muitas vezes a vida toda, não é só uma repercussão durante a fase da infância, mas uma repercussão que pode durar a vida toda”, disse ela.

Durante o encontro também foram destacadas as ações realizadas pela Sociedade Baiana de Pediatria (SOBAPE) em parceria com a Câmara e o mandato de Augusto, na aprovação de pautas de extrema importância, como o Plano Municipal da Infância e Adolescência e segue na luta para aprovação do Plano Municipal da Primeira Infância que contempla pautas para o enfrentamento da síndrome. A vice-presidenta da SOBAPE, Dolores Fernandez, ressaltou a importância de se debater como medida direta na prevenção do SAF.

“A Síndrome Alcoólica Fetal, sem dúvidas, é um tema que tem sido negligenciado, tem sido pouco falado, muito estudado, mas se precisa estudar muito ainda. Já se tem muitas evidências científicas que na realidade uma taça vai gerar problemas para a saúde dessa criança e para saúde da mãe. A gente sabe que é álcool zero, para o trânsito e para gestante”, disse Dolores.

Em formato online, a Sessão foi transmitida pela plataforma Zoom, e também está disponível no Facebook da Câmara Municipal de Salvador.

FALE COMIGO
Mande sua ideia e ajude a contruir uma cidade mais justa.
Faça parte dos nossos grupos: