Notícias

28 maio, 2021

Audiência Pública proposta por Augusto Vasconcelos trata sobre “O Trabalho Em Enfermagem no Contexto de Crise”

Na manhã desta terça-feira (25/05), o Ouvidor Geral da Câmara Municipal de Salvador, o vereador Augusto Vasconcelos, mediou uma Audiência Pública para falar sobre “O Trabalho Em Enfermagem no Contexto de Crise”. O objetivo foi tratar desta que é a maior profissão do setor de saúde do Brasil, traçando caminhos que valorizem e reconheçam de forma mais justa a atuação desses profissionais que estão na linha de frente do combate a pandemia, defendendo a saúde da população.
Estiveram presentes na Audiência Pública, a representante da Associação Brasileira de Enfermagem – Seção Bahia (ABEn-BA), Lívia Angeli Silva, os expositores, Alexandre Souza e Ubiraci Magalhães, o Coordenador do Sindseps, Everaldo Alves de Oliveira Braga, a Presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia (SEEB), Alessandra Gadelha, a Tesoureira do Sindicato Intermunicipal dos Técnicos de Enfermagem, Técnicos de Enfermagem do Trabalho e dos Técnicos de Patologia Clínica do Estado da Bahia (SINTEFEM), Adeilma Pinheiro da Conceição, a Conselheira Fiscal do SINDSAÚDE-BA, Ana Carina Dunham Monteiro e o representante da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Abdon Brito.

Na ocasião, foi destacada a necessidade de serem votados dois projetos de lei importantes: O Projeto de Lei 2295, que tramita no Congresso Nacional e que estipula a jornada de 30 horas semanais para os profissionais de enfermenagem, e o Projeto de Lei 2564/2020 que busca estipular o piso nacional do segmento. Fez parte do diálogo também, os problemas trazidos por uma recente resolução do Conselho Nacional de Educação, que possibilita a realização do ensino de enfermagem a distância, fato totalmente incoerente já que a área da saúde como um todo, necessita que os estudantes, futuros profissionais, tenham a vivência técnica, bem como o contato humano para poder realizar estágios supervisionados e aulas práticas, por exemplo. Tal decisão reforça que o interesse é unicamente atender a grandes grupos econômicos do setor educacional.

“São mais de 2 milhões e 400 mil profissionais que atuam na enfermagem. Infelizmente, já se contabiliza no Brasil, mais de 700 casos de óbitos entre enfermeiras, auxiliares e técnicos de enfermagem, devido a COVID-19. A enfermagem precisa ser valorizada e reconhecida. É necessário que possamos ter esse debate também no ambiente do poder legislativo. Seguiremos buscando melhorias das condições de trabalho e lutando pelo reconhecimento dessa categoria tão importante”, disse Augusto.

Vale ressaltar que, desde o início do ano, a Ouvidoria já realizou dezenas de Audiências, debatendo assuntos variados e de grande relevância para a população. A Audiência Pública foi transmitida pela TV e Rádio Cam, além das redes sociais da Câmara Municipal.

FALE COMIGO
Mande sua ideia e ajude a contruir uma cidade mais justa.
Faça parte dos nossos grupos: